All for Joomla All for Webmasters

O NEGRO, O SAMBA E O CARNAVAL

O NEGRO, O SAMBA E O CARNAVAL Reprodução Facebook

Terceira edição de mostra traz filmes com várias abordagens sobre o tema 

A sétima arte também marca presença na programação da folia de Belo Horizonte com a realização, no Cine Santa Tereza, da terceira Mostra de Cinema, Samba e Carnaval, entre os dias 20 e 24 de fevereiro. Realizado pelo Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte e com curadoria do historiador Marcos Maia, paraense radicado na capital mineira, esta edição tem como elemento central o papel do negro no samba e no Carnaval.

Preconceito racial e religioso, resistência, ancestralidade e tradição são questões abordadas no festival, que foi dividido em várias sessões - veja programação abaixo. Outro destaque são as rodas de conversa, que serão realizadas nos dois primeiros dias, com presenças de intelectuais, produtores e artistas negros, como Markim Cardoso, Iara Pires, Mestre Conga, Rosane Pires, Cida Reis, Rubens Alves da Silva e Serginho Divina Luz.

""O Brasil não pagou ainda sua dívida com os afetados pela escravidão. Temos uma injustiça social e também cultural, pois os negros têm sido o setor que mais contribui com a cultura brasileira (vejamos na literatura, na música, na cultura popular etc). Essa terceira mostra vem no sentido de chamar atenção para essa injustiça histórica exibindo a arte desse povo, do meu pai, meu avô, nossos antepassados", disse.

o historiador ainda cita o criador do Cinema Marginal, o cineasta Rogério Sganzerla, para resumir o tema: "Os artistas, sobretudo os sambistas da geração anterior, da velha gaurda, são as pessoas mais importantes. E eles talvez foram os grandes injustiçados nessa fase de transformação que o Brasil passou por uma era tecnológica, sem dar todo aquele cuidado, aquela atenção, aquela consideração e sobretudo a conquista dos espaços. O samba é o maior ritmo do mundo e cabe ao cinema acompanhar esse movimento", completa Marcos Maia.

Ele lembra que na primeira edição do festival foi dedicado à produção de filmes mineiros e o segundo abordou as chanchadas carnavalescas. A programação é gratuita com distribuição de ingressos trinta minutos antes das sessões.

Trailler de filme de animação baseado na música "Despejo na Favela", de Adoniran Barbosa.

 

*Programação completa:

Dia 20, QUARTA-FEIRA

19h30: Samba das antigas: os fundadores (56 min)

- Heitor dos prazeres (Antônio Carlos da Fontoura| Brasil | 1965| Documentário |cor| 14 min)
Membro do panteão do samba, o sambista Heitor dos Prazeres comenta a sua vida, sua existência e sua condição de pintor no local que foi o berço do samba, a Cidade Nova e a Praça Onze. O filme é uma verdadeira poesia audiovisual.

- Pixinguinha (João Carlos Horta | Brasil | 1966| Documentário| pb |12 min)
Em depoimento intimista, o compositor fala de sua iniciação musical, dos velhos amigos e de seu ambiente caseiro – o piano, as partituras e seus pertences domésticos. Um documentário que trata com delicadeza um dos grandes ícones da música brasileira. A imagem final é reveladora.

- Conversa de Botequim (com João da Baiana) (Luiz Carlos Lacerda | Brasil | 1972| Documentário |pb | 10 min)
Ao lado de Donga e Pixinguinha, João da Baiana, um pioneiro do samba brasileiro, conta histórias do samba e descreve trechos pitorescos da sua vida. Imagens históricas e raras.

- Noel por Noel (Rogério Sganzerla | Brasil | 1981| Ensaio visual | cor/pb | 10 min)
Através de imagens de arquivos, de filmagens de grupos carnavalescos em Vila Izabel e de personagens vivos, Rogério Sganzerla realiza um ensaio fílmico sobre Noel Rosa. Fotografias de época e músicas na voz de intérpretes como Araci de Almeida, nos ajudam a relembrar um dos maiores compositores da música brasileira. Como sempre, Sganzerla passa de forma original o seu recado.

- Pixinguinha e a Velha Guarda do Samba (Ricardo Dias e Thomaz Farkas | Brasil | 2006| Documentário | cor/pb | 10 min)
História de um registro histórico, o documentário de Thomaz Farkas e Ricardo Dias nos apresenta Pixinguinha e a velha guarda do samba dançando e cantando em abril de 1954, no parque do Ibirapuera, em São Paulo, durante a comemoração do IV centenário da cidade. O material se perdeu e foi reencontrado 50 anos depois pelo próprio fotógrafo. As cenas são verdadeiros monumentos da história do samba e da música brasileira.
Classificação indicativa: livre

20h30: Roda de conversa: Cinema, Samba, Carnaval e Situação do Povo Negro
Mestre Conga (sambista da velha guarda de BH, Cida Reis (documentarista, produtora e cantora), Rubens Alves da Silva (professor da Escola de Ciência da Informação – UFMG) e Serginho Divina Luz (sambista).

Dia 21, QUINTA-FEIRA

19h30: Diversidade (55 min)

- Floreados do Repique (Gabriela Greeb | Basil | 2000| Documentário | cor | 21 min)
Os territórios sonoros do Rio de Janeiro durante o carnaval, a mistura do samba com o hip-hop. Com Seu Jorge, Marcelo D2, Grupo Cultural Afroreggae e outros, temos um filme muito bem montado, com uma câmera impactante, rápida e delicada.

- O Batuque na cozinha (Anna Azevedo | Brasil | 2004| Documentário| cor | 19 min)
O filme apresenta as tias Eunice, Doca e Surica, Pastoras da Velha Guarda da Portela, mulheres conhecidas e respeitadas no mundo do samba, comandavam tradicionais rodas de fundo de quintal e eventos que remontam ao século 19, quando baianas da praça XI, como Tia Ciata, abriram seus quintais para batucadas, umbigadas, copoeiras e samba. “O samba nasceu e cresceu no quintal dessas tias” afirma Tia Eunice.

- A Tal Guerreira (Marcelo Caetano | Brasil | 2008| Documentário| cor | 15 min)
Um sound-system no cemitério. Go-go boys nos atabaques. Uma televisão no altar do terreiro. "A Tal Guerreira" é um filme sobre o sagrado e o profano nas incorporações do mito Clara Nunes. Uma ode a diversidade religiosa e sexual.
Classificação indicativa: livre

20h30: Roda de conversa: Cinema, Samba, Carnaval e Questões da Diversidade
Iara Pires Viana (educadora e pesquisadora em cinema), Markim Cardoso (filósofo e historiador) e Rosane Pires Viana (professora e produtora cultural).

Dia 22, SEXTA-FEIRA

19h30: Samba Paulista (75 min)

- O Catedrático do Samba (Alessandro Gamo e Noel Carvalho | Brasil | 1999| Documentário | cor | 23 min)
Um dos ícones do samba paulistano, Germano Mathias é retratado de forma delicada e reverente neste documentário de Alessandro Gamo e Noel Carvalho. Enquadramentos sutis e expressivos captam as contradições do mundo do samba na Paulicéia, que não são tão diferentes das o samba carioca e brasileiro.

- Geraldo Filme (Carlos Cortez | Brasil | 1998| Documentário/ficção | cor/pb | 52 min)
Entre a ficção e o documentário, um mergulho no universo do samba e da cultura negra paulistana através da obra do compositor Geraldo Filme. A narrativa nos revela a grandeza do sambista, além de belas imagens de personalidades como Solano Trindade, intelectual e teatrólogo negro, e o cantor e compositor Itamar Assunção. O samba de São Paulo surpreende através do filme.
Classificação indicativa: livre

Dia 23, SÁBADO

17h | Sessão infantil

- Todas as idades (43 min)
O Despejo ou... Memórias de Gabiru (Sérgio Glenes | Brasil | 2008| Animação | cor | 7 min)
Um filme de animação belo e poético, inspirado no samba de Adoniran Barbosa "O Despejo na Favela". Numa bela manhã ofuscada de sol, Seu Narciso recebe uma grave notícia. Uma carta, entregue pelo oficial de justiça, pesa-lhe toda uma vida de lutas pela comunidade onde nascera. O desespero o leva ao lugar idílico de sua infância. Para emocionar todas as idades.

- Couro de gato (Joaquim Pedro de Andrade| Brasil| 1960| Ficção| pb |15 min)
Às vésperas do carnaval, garotos de uma favela roubam gatos para fabricantes de tamborins. Exercício de realismo lírico, síntese de ficção e documentário, o filme narra o amor de um menino por um angorá e seu dilema ao ter que vender o bichano. Episódio do clássico longa-metragem Cinco Vezes Favela, do Centro Popular de Cultura/UNE (1963).

- Vai dar samba (Humberto Avelar | Brasil| 2010| Animação| cor | 11 min)
Em uma loja mágica de instrumentos musicais, três meninos e duas meninas se encontram secretamente para brincar de fazer música.

- Carnaval dos Deuses (Tata Amaral| Brasil | 2010| Ficção| cor | 10 min)
Jacob, Mairun e João têm 6 anos e confeccionam suas fantasias de carnaval para a festa da escola. Ana não participa da atividade porque acredita que carnaval seja pecado. Essa situação causa espanto entre os amiguinhos que iniciam uma conversa sobre suas diferentes origens religiosas. E os deuses? Todos seriam benvindos? A interação com os pequenos atores torna o filme de Tatá Amaral surpreendente do início ao fim.
Classificação indicativa: livre

19h: Grandes nomes (65 min)


- Nelson Sargento (Estevão Ciavatta| Brasil| 1997| Documentário| cor | 22 min)
O verde e o rosa dominam os cenários e figurinos de um passeio pelo morro da Mangueira com Nelson Sargento que, refletindo sabiamente sobre a vida e limitações, é autor de letras de resistência no samba e na sociedade.

- Martinho da Vila Paris 1977 (Ari Candido Fernandes| Brasil| 1977| Documentário| cor | 8 min)
O filme registra a passagem de Martinho da Vila por Paris, em 1977, durante uma turnê de apresentações. Depoimentos espontâneos, gravações em estúdio de TV, conversas com amigos e passeios por pontos turísticos da Cidade Luz compõem o documentário.

- Guilherme de Brito (André Sampaio| Brasil| 2008| Documentário| cor | 21 min)
O filme retrata alguns momentos e memórias de um dos nossos maiores compositores de samba, Guilherme de Brito. Parceiro de Nelson Cavaquinho em antológicos sambas como Flores em Vida, A Flor e o Espinho e Tatuagem. O sambista não esconde sua veia artística ao interferiu no roteiro das filmagens do documentário dirigido por André Sampaio. Vemos também o lado artista plástico do compositor

- Nelson Cavaquinho (Leon Hirszman| Brasil| 1969 | Documentário| pb |14 min)
O cotidiano do sambista Nelson cavaquinho. Sua casa, sua família, sua música refinada, no bairro da Lapa, Rio de Janeiro. Chance de ver ou rever esse clássico do documentário brasileiro.
Classificação indicativa: livre

Dia 24, DOMINGO

17h: Na avenida (63 min)

- Nossa Escola de Samba (Manuel Horácio Gimenez| Brasil| 1965| Documentário| pb | 29 min)
Filmado nos anos iniciais da ditadura militar de 1964, Nossa Escola de Samba é um dos documentários da chamada Caravana Farkas que se propunha redescobrir o Brasil do homem comum, aquele expulso da terra para a cidade grande, o jogador de futebol, o nordestino e o sambista. Por meio de texto construído a partir de declarações de um dos fundadores da escola de samba Unidos de Vila Isabel, Antônio Fernandes da Silveira, o China, é possível conhecer um pouco da vida de alguns moradores do morro do Pau da Bandeira no Rio de Janeiro.

- Ilê Aiyê/Angola (Orlando Senna| Brasil| 1985| Documentário| cor | 16 min)
O Carnaval do grupo Ilê Aiyê, organização do bairro Curuzu, Salvador (BA). Neste belo documentário de Orlando Sena, vemos a música, a religião, a política e a influência desta comunidade negra com suas raízes africanas, 120 anos depois da suspensão do tráfico de escravos.

- Jorjão (Paulo Thiefenthaler| Brasil| 2004| Documentário| cor | 18 min)
Um perfil do diretor de bateria de escolas de samba, Mestre Jorjão. Acompanhamos a sua relação com os ritmistas e a criação da famosa “paradinha” que introduziu uma batida de funk na bateria da Unidos do Viradouro. Imagens bem filmadas como se fossem no ritmo da bateria. Temos o depoimento da sua esposa que esperou 20 anos para casar com ele.
Classificação indicativa: livre

19h: No terreiro (50 min)

- Carioca, suburbano, mulato, malandro - João Nogueira (Jom Tob Azulay| Brasil| 1979| Documentário| cor | 13 min
Jom Tob Azulay, ex-diplomata que dirigiu filmes como Os Doçes Bárbaros, realiza um belo documentário com sequências bem divididas e fluentes, abordando o cantor e compositor João Nogueira em antológica roda de samba com a presença de Paulo Cesar Pinheiro e do jornalista Sérgio Cabral que também é narrador e parceiro do sambista nas conversas e rodas.

- Samba de Quadra (Gustavo Mello e Luiz Ferraz| Brasil| 2009| Documentário| cor | 17 min)
A memória do samba caipira paulista sobrevive na cidade de Quadra, a 150 km de São Paulo. Mesmo não ostentando mais a vitalidade dos velhos tempos, a expressão musical está longe de ser parte do passado. Ela é renovada na casa de João do Ditão, líder de um dos únicos grupos remanescentes no estado.

- Babaú na casa do Cachaça - verde e rosa blues (Luiz Guimarães de Castro| Brasil| 2005| Documentário| cor | 20 min)
O encontro de dois velhos amigos. O sambista Babaú da Mangueira visita seu amigo Carlos Cachaça, cantando seus sambas e contando suas histórias.
Classificação indicativa: livre

*Informações: 3277-4699 ou pelo email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Ler 227 vezes Última modificação em Segunda, 11 Fevereiro 2019 12:40
Zu Moreira

Jornalista, compositor e pesquisador

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Onde sambar

Sambistas Online

Temos 6 visitantes e Nenhum membro online

CARICATURA DO MÊS

Cartola

Samba no mapa