TIA ELZA ESTÁ NA DISPUTA PELO THE VOICE+

TIA ELZA ESTÁ NA DISPUTA PELO THE VOICE+ Reprodução: TV Globo

Sambista de Divinópolis ganha torcida de mineiros.

Em meio a uma realidade sem pandeiro, tantan e tamborim, a notícia boa é a presença de Tia Elza, sambista de Divinópolis, no The Voice +, programa da TV Globo dedicado aos artistas com mais de 60 anos.

No domingo (24), segundo dia de “Audições às Cegas”, em que os jurados decidem se viram a cadeira ou não para os participantes, Tia Elza foi selecionada e escolheu a popstar Ludmilla para ser sua técnica na disputa. "Quando você começou a cantar essa música, eu logo me identifiquei e virei para você. Seja bem-vinda ao 'The Voice +' e ao meu time!", disse Lud. "Com vozes como a sua, o samba não vai morrer jamais!", completou Daniel. Confira aqui.

Tia Elza iniciou a disputa com o clássico "Não Deixe O Samba Morrer", composição de Edson Conceição e Aloísio Silva, gravada em 1975 pela Alcione. A “Marron” também foi a inspiração para a apresentação da cantora Abadia Pires, de Uberlândia. A mãe do cantor Alexandre Pires interpretou o sucesso "Você Me Vira a Cabeça (Me Tira do Sério)" e foi parar no time do cantor Daniel.

Mas nas redes sociais o que se viu foi uma torcida pelo sucesso de Tia Elza, que já se apresentou em várias casas e projetos de samba em Belo Horizonte. A cantora, por exemplo, integra o movimento Encontro Nacional de Mulheres na Roda de Samba (foto abaixo), que a cada ano promove uma roda de samba simultânea em várias capitais do país e no exterior. A última apresentação com público foi em 2019. Já se apresentou também no projeto Samba na Roda da Saia. Todos eles têm como ponto central o empoderamento da mulher no samba. 

Em 2019, ela participou também do Bloco “Filhas de Clara”, em Belo Horizonte, ao lado das cantoras Aline Calixto e Marina Machado.

Não é a primeira vez que Tia Elza participa de um programa de TV em rede nacional. Há dois anos, ela se apresentou no programa do Ratinho, no quadro 10 ou 1.000.

Aos poucos Tia Elza vai realizando o sonho de viver do samba e no Rio de Janeiro.

Sobre Tia Elza

Elza dos Santos conhecida como a “Mãe do Samba de Divinópolis” e a “Rainha do Samba do Centro-Oeste de Minas” é uma cantora e compositora. Começou a cantar influenciada pela irmã mais velha, Leide Santos, cantora de baile “com uma voz parecida com a de Ângela Maria”.

Com a inauguração, em 1988, do bar qeu leva seu nome, Tia Elza pôde se equilibrar entre a culinária mineira e a música, com apresentações ao público, primeiro fazendo voz e violão. Várias artistas de renome chegaram a se apresentar ou frequentar a casa, como Luiz Melodia, Waldir Silva, Tadeu Franco, Serginho Pererê, entre outros.

Em 1994, venceu o Festival Novo Canto com a canção “Vermelho é Paixão”. Em 2007, gravou o primeiro disco.

Em temporada no Rio de Janeiro, em 2015,  a admiradora de Elizeth Cardoso começou a fazer amizade com a turma do samba, se apresentando em casas famosas e eventos, como a Trapiche Gamboa, Carioca da Gema, Feijoada da Portela, Samba da Varanda, em Paquetá, entre outros. “O sonho de todo o sambista, tenho certeza, que é o Rio de Janeiro”, sempre diz Tia Elza.

No Carnaval, Tia Elza é a responsável por puxar o “Bloco do Samba” criado pelo movimento negro de Divinópolis.  

 

Visto 217 vezes Última modificação em Segunda, 25 Janeiro 2021 12:53
Redação

A equipe Almanaque é composta por: Jornalistas, compositores e pesquisadores do Samba de Minas Gerais

Website.: almanaquedosamba.com.br

Sambistas Online

Temos 253 visitantes e Nenhum membro online

Onde sambar

CARICATURA DO MÊS


Bezerra da Silva

Samba no mapa