All for Joomla All for Webmasters

TONHO COSTA

03/03/1963 - Ouro Preto (MG)

Baterista, percussionista e compositor mineiro, Antônio Almeida de Oliviera Costa, o Tonho Costa, é músico profissional desde 1976, então com apenas 13 anos de idade. Ao longo de sua carreira, trabalhou em diversas orquestras como a Zepellin Tropical, Edie Lincoln Orquestra, entre outras. Desde cedo manifestou sua tendência à música instrumental, que logo se tornou sua prioridade. Foi líder do grupo Água de Lua e da banda Corte em Minas e do grupo de música instrumental brasileira OsQuatroZé.

Como baterista, optou em ser freelancer trabalhando com muitos artistas da MPB: Gonzaguinha, Fagner, Alcione, João Nogueira, Silvio Caldas, Geraldo Azevedo, Gilberto Gil, Flávio Venturini, Zé Ramalho, entre outros.

Foi indicado ao Prêmio Sharp em 1992, como Instrumentista do Ano e considerado um dos melhores bateristas de samba do país, eleito por Edson Machado e pela crítica como Mestre do Samba-Jazz. Especialista em polirritmia, Tonho Costa se dedica à pesquisa de vários ritmos brasileiros, mesclando com sua influência jazzista e criando suas composições, que tanto agradam ao mercado europeu.

Entre as produções mais recentes, trabalhou com Farofa Carioca, Alcione, Diogo Nogueira e Marcel Powell, Luiz Guima, Monique Grazinolli, Monika Oliveira (EUA), Duo Levy, Itamara Korax, Samambaio trio, Gafieira de Ouro, entre outros.

Em experiências internacionais, vale ressaltar, atuou, principalmente ao lado de Kleiton e Kledir; Riko Dorileo; Alex Sacha; Paulo Zidann (antigo Grupo Brilho), Cassiano e Claudio Zólli; Mombaça e Mike Ryan, entre outros, além de canjas com os músicos Mike Stern e Toot Tilemans.

Em seu show solo, Tonho Costa, lança sua versão para a música Saudades de Ouro Preto, de domínio público e autor desconhecido, porém consagrada pelo gênio do violão Dilermando Reis. Em 2012, começou um processo gradativo de retorno à sua terra natal com a criação da Orquestra Gafieira de Ouro. Em meados de 2014, mudou-se definitivamente para Ouro Preto estando à frente da Gafieira de Ouro, de seu trabalho solo e produzindo diversos artistas locais. Criou ainda a Escola de Música Gafieira de Ouro e a Gafieira de Ouro Produções, com o objetivo de melhorar o coeficiente de profissionalismo do mercado artístico ouro-pretano.

Como professor, trabalhou na Escola de Música Livre Música de Minas (1987); Instituto de Artes e Cultura da Universidade Federal de Ouro Preto (1985 e 1986); Centro de Artes André Segóvia, no Espírito Santo (1994 a 1996); Ângelus Curso de Músic, no Rio de Janeiro (1996 a 1997); Musimundi Academia da Música, também no Rio de Janeiro (2004 a 2007). Ainda na capital fluminense, Tonho trabalhou como professor de percussão e coordenador da área de música na organização não-governamental Excola por muitos anos, numa intervenção voltada à população de rua.

Entre 2010 e 2011, mudou-se para o interior de São Paulo, onde atuou como educador na Fundação Cultural e Educacional de Caraguatatuba. Lá, criou um grupo de maracatu e dirigiu alguns artistas locais. Segue agora com seu trabalho autoral em formato de work/show com a finalidade de dar ao povo brasileiro maior conhecimento de sua tão rica diversidade rítmica. Tonho Costa está em fase de preparação do seu novo disco e show Saudade de Ouro Preto, que deve trazer a alma de seu trabalho: o rebuscamento da linguagem jazzista com o pulso dançante da música brasileira.

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Contato: (11) 99267-0052

 

 

Ler 141 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Patrocínio