MESTRES DA CULTURA: PBH DIVULGA LISTA DE PREMIADOS

MESTRES DA CULTURA: PBH DIVULGA LISTA DE PREMIADOS André Fossati/Alexandre Rezende

Dona Elisa, Nonato e Pai Ricardo entre os 25 selecionados

Os vencedores do 4º Prêmio Mestres da Cultura Popular de Belo Horizonte foram anunciados na quarta-feira (2) pela Secretaria Municipal de Cultura e pela Fundação Municipal de Cultura. Entre os 25 premiados nomes conhecidos no universo do samba, como Nonato do Samba, Dona Elisa e Pai Ricardo de Moura. Outros selecionados são Mestre João, Mestre Dunga, Isabel Cassimiro, do Congado Treze de Maio, o palhaço Max Ribeiro.

"Receber essa notícia da conquista desse prêmio mestres da cultura, para mim, é a realização de um sonho, de receber esse reconhecimento, pela minha trajetória, nos rumos musicais. Sou muito grata a Deus primeiramente, as entidades de luz que nos protejem, e também a todos os colaboradores que trabalharam, para que eu Ana Eliza de Souza conseguisse esse prêmio. Com muito respeito e carinho, agradeço e envio a cada uma dessas pessoas o meu forte abraço. Agradeço também a vocês do Almanaque do Samba", disse Dona Elisa. Nonato também agradeceu o reconhecimento. "Recebo esse prêmio com um sentimento de vitória, estou muito feliz", disse.

Cada premiado receberá R$ 15 mil e uma placa alusiva ao título de “Mestre da Cultura Popular de Belo Horizonte”. Os recursos são provenientes do Fundo de Proteção do Patrimônio Cultural de Belo Horizonte. Para se candidatar ao prêmio, o mestre ou mestra precisava ter idade igual ou superior a 50 anos, atuar em Belo Horizonte há pelo menos 10 anos e possuir o reconhecimento de sua comunidade.Confira o perfil dos destacados:

Dona Elisa - Empregada doméstica aposentada, filha de pai lavrador e mãe professora, já passou por muitas dificuldades, fitando a discriminação e o preconceito da sociedade. Começou a cantar aos 10 anos nas festinhas de colégio e aos 15 já estava dividindo espaço com os homens nos bares da vida. Na juventude, chegou a morar no Rio de Janeiro, antes de buscar uma carreira artística em Belo Horizonte, na década de 1970. Em 2017, lançou o do primeiro CD Diploma da Vida, que reúne 12 faixas com composições próprias, que marcam seus 50 anos de carreira. Em 21 de abril de 2018, foi condecorada pelo Governo de Minas Gerais com a Medalha da Inconfidência, em Ouro Preto (MG), por sua importante contribuição para o samba mineiro.

Nonato do Samba - Cria do subúrbio de Belo Horizonte, cresceu nas rodas de samba do Morro do Papagaio, e aos 15 anos ingressava na ala de bateria da Monte Castelo se tornando destaque na percussão. Nos anos de 1990, após gravar CD com o grupo Samba e Cia, produzido por Milton Manhães e Mauro Diniz, Nonato atravessou o planeta para apresentar seu trabalho no Japão e na Coréia. Paralelamente à carreira artística, milita no mundo do samba, esforçando-se para unir os sambistas, com projetos como o extinto Coopersamba.

Pai Ricardo - coordena a Associação de Resistência Cultural Afro-brasileira Casa de Caridade Pai Jacob do Oriente (CCPJO), que atua desde 1966 no complexo da Pedreira Prado Lopes, em Belo Horizonte. Também é Rei Congo da Guarda de São Jorge de Nossa Senhora do Rosário no bairro Concórdia. Pai Ricardo também integra o OriSamba, bloco de matriz afro-brasileira, criado em 2016 por moradores do bairro da Lagoinha e da região metropolitana de BH, a partir do projeto Tambor de Tradição.

 

Lista de premiados – 4ª edição

Palmira Barbosa Ramos - Rituais/Festejos/Celebrações (Folia dos Reis)
 
Irene Bispo - Rituais/Festejos/Celebrações (Folia dos Reis)
 
José Francisco Cândido - Rituais/Festejos/Celebrações (Congado)
 
Maria Nascimento da Silva - Rituais/Festejos/Celebrações (Congado)
 
Max Borges Monteiro - Ofícios/Saberes/Técnicas (Circo-Palhaço)
 
Geraldo Antônio da Silva - Rituais/Festejos/Celebrações (Congado)
 
Isabel Casimira Gasparino - Rituais/Festejos/Celebrações (Congado)
 
Maurício Lino Moreira - Rituais/Festejos/Celebrações (Congado)
 
Sidney Ferreira da Silva - Rituais/Festejos/Celebrações (Candomblé) 

Eni Carajá Filho - Saberes/Literatura Popular (Indígena)
 
Ricardo de Moura - Rituais/Festejos/ Celebrações  (Umbanda)
 
Marcos Rhossard Prado - Música, Cantos e Danças
 
Wanderson dos Santos - Rituais/Festejos/ Celebrações (Congo)
 
Maria Gonçalves Santos - Música, Cantos e Danças (Grupo Meninas de Sinhá)
 
Ana Eliza de Souza - Música/Samba
 
Dulcinéa Fernandez - Rituais/Festejos/ Celebrações  (Umbanda)
 
Amadeu Martins - Capoeira
 
Joviano Efigênio de Brito - Rituais/Festejos/ Celebrações  (Omolokô)
 
William Douglas Guimarães - Capoeira
 
João Bosco Alves da Silva - Capoeira
 
Ione Maria de Oliveira - Medicina Popular (Raizeira/Quilombo Mangueiras)
 
Adriane dos Santos Silva Quintão - Rituais/Festejos/ Celebrações  (Umbanda)
 
Rodolfo Alexandre Cascão Inácio - Literatura de Cordel 
 
Hélio Valeriano de Souza - Rituais/Festejos/ Celebrações  (Congado/ benzedor)
 
Raimundo Nonato da Silva - Música/Samba

Mais recursos

Premiação tradicional na cidade, a iniciativa busca reconhecer, valorizar e divulgar a atuação dos mestres e mestras da cultura popular, responsáveis pela transmissão e perpetuação de saberes, celebrações e formas de expressão que compõem o patrimônio cultural imaterial da nossa cidade. O destaque desta edição é o aumento no número de contemplados, que é oito vezes maior que o da última edição, passando de três, em 2019, para 25 selecionados em 2020. Ao todo, R$ 375 mil serão pagos em premiações. A lista completa dos premiados pode ser acessada no portal da Prefeitura. 

Secretária Municipal de Cultura e presidenta interina da Fundação Municipal de Cultura, Fabíola Moulin destaca que o aumento dos recursos da premiação - que passou de R$ 45 mil, em 2019, para R$ 375 mil, em 2020 - evidencia o compromisso da Prefeitura em fortalecer a política pública de valorização das manifestações populares e preservar o patrimônio imaterial de Belo Horizonte. 

“Essa ampliação no número de beneficiados acontece em um momento oportuno, uma vez que muitas celebrações, fazeres e saberes da cultura popular, que tem na sociabilidade e no encontro coletivo o suporte para sua prática, não puderam ser realizadas este ano, em razão do distanciamento social necessário para o combate à pandemia da Covid-19. Ao publicarmos o resultado deste edital e dar prosseguimento ao pagamento dos mestres e mestras contemplados, damos mais um importante apoio à cultura neste momento desafiador e inédito que vivemos neste ano”, afirma. 

O 4º Prêmio Mestres da Cultura Popular de Belo Horizonte recebeu, ao todo, 93 candidaturas. Os 25 selecionados foram escolhidos pela Comissão de Habilitação e Seleção, que considerou aspectos como tempo de atuação do mestre na prática cultural, sua contribuição para a formação de aprendizes e continuidade da prática, importância para a formação de sentimentos de identidade e pertencimento e, por fim, situação de risco da prática cultural a qual o mestre se dedica. 

 Com informações da PBH e site saberes tradicionais

Visto 474 vezes Última modificação em Sexta, 11 Dezembro 2020 15:00
Redação

A equipe Almanaque é composta por: Jornalistas, compositores e pesquisadores do Samba de Minas Gerais

Website.: almanaquedosamba.com.br

Sambistas Online

Temos 148 visitantes e Nenhum membro online

Onde sambar

CARICATURA DO MÊS


Bezerra da Silva

Samba no mapa